02 GRAFICA REAL

"Orar, orar e continuar orando, até começar a orar de verdade." (A. W. TOZER).

Por Central TO em 02/02/2022 às 17:03:10

"O inferno treme quando nos dobramos diante do Senhor Todo-Poderoso para orar. A oração move a mão Onipotente de Deus." (Hernandes Dias Lopes).


A oração precisa ser valorizada. Todo cristão precisa ter a oração como algo prazeroso. Estar próximo de quem amamos é algo maravilhoso. Quem não se sente bem ao se aproximar de alguém que ama? falamos tanto que amamos o nosso Deus, que Ele é a pessoa mais importante das nossas vidas, costumamos nos declarar assim a Ele. Porém, faz-se necessário uma reflexão: Temos sentido prazer, vontade, alegria, satisfação de estar próximo d"Ele? Na oração nos relacionamos intimamente com Deus. Através da oração o crente se torna mais íntimo de Deus.

Através da oração o crente é fortalecido por Deus. Jesus disse que precisamos vigiar e orar porque a carne é fraca. Na caminhada de fé, precisamos seguir vigiando, ou seja, atentos, com os olhos abertos. Porém, ao mesmo tempo devemos seguir a caminhada em constante oração pois só assim somos fortalecidos. A vigilância me faz ver a armadilha, e a oração me concede forças para não cair na armadilha.

Todas as vezes que paramos para orar, estamos demonstrando uma total dependência de Deus. A oração é a prova que somos dependentes do Senhor, é uma maneira de dizer que sem a sua ajuda não conseguimos chegar a lugar nenhum.

O próprio Jesus levou uma vida de oração, mostrando com essa atitude que Ele, mesmo sendo um com o Pai, era totalmente dependente do Pai. Podemos ter como exemplo o episódio da escolha dos doze apóstolos, antes de escolhe-los, Jesus passou a noite em oração.

E aconteceu que naqueles dias subiu ao monte a orar, e passou a noite em oração a Deus. E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze deles, a quem também deu o nome de apóstolos. (Lc 6:12-13). Em um momento de grande angustia, Jesus demonstrou através da oração que era totalmente dependente do Pai para o cumprimento da sua missão. E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres. (Mt26.39).

Os irmãos da igreja primitiva levavam uma vida de oração pois eles sabiam que eram dependentes da ajuda de Deus para servir ao Senhor e também pregar o Evangelho do Reino de Deus. Enquanto estendes a tua mão para curar, e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo Filho Jesus.

E, tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a palavra de Deus. (At 4.30 – 31).

Através da oração o servo de Deus confessa os seus pecados e ao mesmo tempo busca o perdão da parte do Senhor. Sempre que nos lançamos aos pés de Deus em oração, com o coração arrependido, Ele é fiel para nos perdoar. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça (1 Jo 1.9).

O modelo de oração deixado por Jesus ensina exatamente a orar pedindo o perdão. E perdoa-nos as nossas dívidas[...]. (Mt 6.12).

Davi, Rei de Israel havia pecado contra Deus, cometendo adultério com Bate-Seba, a mulher de Urias, e, seguida, mandou matar o marido dela porque ela havia engravidado. Foi muito grave o pecado cometido por Davi, por isso ele foi repreendido por Deus através do Profeta Natã (leia o texto completo em 2 Samuel 11 e 12). Porém no Salmo 51, diante de um grande desespero Davi faz uma oração pedindo a Deus o perdão pelos seus pecados. Vejamos.

Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias.

Lava-me completamente da minha iniquidade, e purifica-me do meu pecado.

Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.

Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares.

Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.

Eis que amas a verdade no íntimo, e no oculto me fazes conhecer a sabedoria.

Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve.

Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebraste.

Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniquidades.

Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto.

Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo.

Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário.

Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão.

Livra-me dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação, e a minha língua louvará altamente a tua justiça.

Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca entoará o teu louvor.

Pois não desejas sacrifícios, senão eu os daria; tu não te deleitas em holocaustos.

Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.

Faze o bem a Sião, segundo a tua boa vontade; edifica os muros de Jerusalém.

Então te agradarás dos sacrifícios de justiça, dos holocaustos e das ofertas queimadas; então se oferecerão novilhos sobre o teu altar. (Salmos 51.1-19)

Todos estamos sujeitos ao pecado. Carecemos do perdão do nosso Deus, e, nada melhor do que buscar o perdão através da oração.

A oração é meio pelo qual nos comunicamos com o nosso Deus. Na oração apresentamos ao Senhor as nossas lutas e necessidades, e cremos que Ele é fiel e tem o poder de nos abençoar. Seja na área espiritual, física, emocional, sentimental, financeira. Para Deus não há nada difícil, não existe problema que Deus não possa resolver.

Quando o assunto é oração, não podemos nos esquecer de dois princípios que precisam ser observados todas as vezes que formos orar. Em primeiro: não nos esqueçamos que tudo acontece de acordo a soberana e perfeita vontade de Deus, nem sempre a nossa vontade é a vontade do Senhor. Jesus nos ensina, "[...] seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu." (Mt 6.10). Sigamos o exemplo do nosso Mestre, que mesmo em um dos momentos mais difíceis da sua vida, orou pedindo que a vontade do Pai foi feita. E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres (Mt26.39).

Em segundo lugar: existe um tempo determinado para tudo nesta vida, "tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu" (Ec 3. 1). Nem sempre o tempo de Deus é o nosso tempo, o relógio de Deus é diferente do nosso. Aprendamos a orar e esperar com fé, pois na hora certa as bênçãos chegarão. Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor (Sl 40. 1).

Fonte: Pr. Eliardo Santos.

PALMAS 33 ANOS
GOOGLE