02 GRAFICA REAL

Polícia Civil prende homem investigado por crimes diversos no norte do Estado

O homem preso teria tentado matar desafetos após discussões banais em Pau D'Arco

Por Rogério de Oliveira em 21/06/2022 às 17:51:04
Foto: Divulgação/DICOM SSP TO

Foto: Divulgação/DICOM SSP TO

No início da tarde desta terça-feira, 21, a Polícia Civil do Estado do Tocantins (PC-TO), por meio de uma ação conjunta efetuada por policiais civis da 37ª DP de Pau D"Arco e da 38ª Delegacia de Polícia Civil de Arapoema, efetuou a prisão de um homem de 22 anos, investigado por tentativas de homicídios, além de outros crimes. O indivíduo foi capturado, mediante cumprimento a mandado de prisão preventiva, quando estava em uma residência na cidade de Arapoema.

O delegado responsável pelo caso, Marco Aurélio Barbosa Lima, informou que o pedido de prisão foi fundamentado em três Inquéritos Policiais de investigações que apuram tentativa de homicídio figurando o preso como investigado dos delitos ocorridos no município de Pau D"Arco, ainda neste ano de 2022.

"O preso teria, em datas diferentes, desferido golpes de faca na barriga das vítimas após discussões banais. Além disso, o investigado já respondeu por roubo com uso de faca", disse a autoridade policial. Após ser preso, o homem foi conduzido para a sede da 38ª DP e, após a realização dos procedimentos legais cabíveis, foi conduzido até a Cadeia Pública local, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Conforme a autoridade policial, se for julgado e condenado, o homem preso nesta terça-feira poderá pegar uma pena que ultrapassa 20 anos de prisão.

O delegado Marco Aurélio destacou que a Polícia Civil tem atuado de forma rigorosa no sentido de identificar o responsabilizar os autores de crimes, diversos, sobretudo de homicídio e tentativa de homicídio. "No município de Pau D"arco, divisa com Estado do Pará houve um aumento no número de ocorrências envolvendo crimes contra a vida, mas a Polícia Civil vem trabalhando para elucidar as demandas para que os responsáveis sejam julgados e condenados conforme determina a lei", ressaltou.

Comunicar erro

Comentários